O sistema de ensino Espanhol

Escolaridade básica

Está a visualizar a casa dos seus sonhos em Espanha. Já consegue imaginar-se a desfrutar do bom tempo, das actividades de lazer, da natureza ou a trabalhar naquele ambicionado projecto debaixo de um magnífico céu azul perto do mar.

E de repente diz, “Sim, tal seria perfeito. Mas e o que seria feito dos meus filhos em idade escolar?”

Atualmente, os vários sistemas de ensino da União Europeia estão a envidar esforços para esbater as diferenças entre os países. O seu objectivo é uniformizar os graus de ensino dentro da União Europeia, para que haja o reconhecimento das qualificações obtidas nos vários países e facilitar a mobilidade na Europa.

A escolaridade básica dura dez anos, enquanto o aluno tem idades compreendidas entre os seis e dezasseis anos, período no fim do qual o estudante atinge a idade legal em Espanha para fazer parte do mercado de trabalho.

Estes dez anos estão divididos entre a escola primária obrigatória e a escola secundária obrigatória. Cada criança, independentemente da sua nacionalidade, tem acesso ao ensino público. O processo de inscrição numa escola pública é diferente nas diversas comunidades autónomas.

Geralmente, é necessária a seguinte documentação:

  • O original e fotocópias do cartão de identificação nacional (DNI), passaporte ou um documento equivalente que pertença à mãe, pai ou tutores legais do estudante.

  • Certidão de recenseamento (Certificado de empadronamiento) do agregado familiar e da sua morada

  • Se o estudante apresentar à escola um endereço profissional, deve ser fornecido um documento que ateste o vínculo laboral e endereço do local de trabalho com um dos pais do estudante ou tutores legais.

  • Original e fotocópia da cédula familiar (Libro de Familia), passaporte, ou documento equivalente que demonstre a filiação do estudante e data de nascimento.

  • Se o estudante for proveniente do sistema de ensino espanhol, será requerido um documento que ateste o último estabelecimento de ensino e curso onde o estudante estava matriculado. Se o estudante nunca tiver integrado o sistema de ensino espanhol, será matriculado de acordo com a sua idade.

Ensino público

  • O ensino público é gratuito para todos os estudantes matriculados numa escola espanhola. Mas os pais têm de suportar os custos com materiais, livros, uniformes ou outros materiais escolares.

  • Os estudantes estrangeiros são aceites. Se não tiverem um domínio da língua espanhola, ser-lhes-á atribuído um tutor de apoio durante o período lectivo.

  • As actividades extracurriculares são disponibilizadas a custos muito reduzidos.

  • A educação primária aplica-se aos alunos com idades compreendidas entre os seis e os doze anos.

  • A segunda parte do ensino obrigatório é a escola secundária. É constituída por quatro anos divididos em duas fases, que duram até que o aluno atinja os dezasseis anos. Quando os seus estudos forem concluídos, os estudantes obtém um certificado de conclusão (Certificado de Salida) que lhes permite estudar numa escola de ensino secundário (Bachillerato) ou continuar num centro de formação profissional.

  • Se o estudante optar pelo ensino secundário (Bachillerato), ser-lhes-á fornecida uma formação especializada durante dois anos. O estudante escolhe se pretende estudar artes, ciências da saúde, ciências sociais, ciências tecnológicas ou humanidades. Se for bem sucedido, o estudante obtém o certificado do ensino secundário (Certificado de Bachiller) e poderá preparar-se para o exame de acesso ao ensino superior.

Faça o download da versão portuguesa do Guia gratuito sobre como comprar uma propriedade

Tudo o que você precisa de saber sobre como comprar uma casa em espanha com um estatuto de não residente.

Ensino privado

Alguns pais espanhóis e estrangeiros preferem que os seus filhos tenham uma formação privada, mesmo tendo em conta que as escolas privadas cumprem o mesmo programa das escolas públicas.

A preferência pelo sistema de ensino privado é muitas vezes motivada pelas escolas de cariz religioso, mais em linha com a fé dos pais. De salientar que o ensino público em Espanha é laico. Noutras ocasiões, os pais procuram uma formação bilíngue, mesmo que tal seja também cada vez mais comum no ensino público.

Eles podem preferir uma escola que adopte um modelo de ensino mais parecido com o seu país de origem.

É por isso que encontramos em toda a Espanha, liceus franceses, escolas inglesas e escolas alemãs, ou de outras nacionalidades, dependendo das diferentes comunidades residentes nessas áreas.

Finalmente, há outros que preferem o ensino privado devido ao prestígio, fama ou boa reputação que certos estabelecimentos privados usufruem.

Aqui ficam alguns dados a ter em conta:

  • O custo médio do ensino privado é de 500 € por estudante por mês, dependendo da cidade, da acreditação internacional do sistema de ensino, do prestígio e do número de membros da mesma família que estudam nesse estabelecimento.

  • As actividades extracurriculares são mais variadas do que no ensino público: ténis, teatro, culinária, natação, etc são disponibilizadas em instalações mais apropriadas, com melhores equipamento e auxiliares de formação.

  • O ensino privado pode ser a melhor opção para os alunos que pretendam continuar os seus estudos superiores fora de Espanha, dado que muitos destes estabelecimentos bilíngues disponibilizam os certificados necessários para o fazer. Em alguns casos, os estudantes estrangeiros têm de realizar um curso de preparação caso seja exigido pela universidade estrangeira.

Como proceder à matrícula numa escola privada

Estas escolas têm os seus próprios critérios para aceitar ou não os estudantes, mas geralmente, tendem a ser os seguintes:

  • Entrevistas com os pais.

  • Análise do percurso escolar do aluno.

  • Teste de conhecimentos da língua não-espanhola ensinada nesse estabelecimento.

  • Um depósito que, dependendo do estabelecimento, pode ser reembolsável ou não.

  • Documentação que cada instituição ache apropriada.

  • Frequência ou não de outros irmãos neste estabelecimento, ou se os pais foram antigos estudantes.

  • Cartas de recomendação ou referências em geral.

  • É recomendado que os estudantes se candidatem com pelo menos um ano ou mais de antecedência.

Entre as escolas públicas (laicas e financiadas pelo estado), escolas autónomas (privadas mas subsidiadas pelo estado) e escolas privadas (financiadas exclusivamente pelos pais), Espanha oferece uma grande variedade de estabelecimentos de ensino que respondem a todas as necessidades e orçamentos.