Empréstimos para estrangeiros em França

O financiamento de uma casa em França pode ser feito de várias formas. Algumas compras são feitas em dinheiro, sobretudo na aquisição de imóveis para renovação; alguns compradores financiam as suas aquisições, ao hipotecar as suas residências principais e a usar esses fundos para pagar uma casa de férias em França ou até vender para se mudarem definitivamente. Mas não há nada que impeça um estrangeiro de conseguir um empréstimo de um banco francês e muitos estão a recorrer cada vez mais a créditos à habitação franceses.

Porque França é um destino tão popular para os compradores de segundas residências, os bancos franceses estão habituados a emprestar a não-residentes e muitos deles têm processos bem definidos para os compradores estrangeiros. Os empréstimos estão disponíveis até 80% do valor do imóvel, apesar de alguns bancos oferecerem termos menos vantajosos para não-residentes, ao limitar a percentagem do valor de empréstimo a 50%.

As instituições de crédito francesas podem ser mais rigorosas ao avaliarem os indicadores de viabilidade do que, por exemplo, os bancos americanos ou britânicos. Geralmente. eles limitam a dívida correspondente ao empréstimo (incluindo alguma já detida numa residência principal) a 40% do rendimento e o processo pode envolver muita papelada para que possa provar os seus rendimentos e despesas.

Faça o download da versão portuguesa do Guia gratuito sobre como comprar uma propriedade

Tudo o que você precisa de saber sobre como comprar uma casa em França com um estatuto de não residente.

A maioria dos créditos têm taxas de juro fixas

O género mais comum de crédito à habitação em França é o empréstimo de longo prazo, com taxa de juro fixa. Este é uma das soluções de crédito mais baratas na União Europeia - atualmente, um empréstimo de 20 anos com taxa fixa pode ser conseguido por pouco mais de 2%. A escolha de um crédito de prazo mais curto faria descer a taxa de juro ainda mais. Há uma desvantagem neste tipo de empréstimo, é que as penalizações por reembolsos antecipados podem ser altas, é por esse motivo que muitos compradores preferem créditos com taxa de juro mista/variável.

Também estão disponíveis empréstimos com taxas de juro variáveis. Em vez de ajustar a amortização mensal por excesso se a taxa de juro variar, os bancos franceses simplesmente prolongam o período do empréstimo. A vantagem é que ficará a saber quais serão as suas despesas mensais e, se as taxas de juro subirem, ainda poderá conseguir efetuar os seus pagamentos.

FAQ

Necessito do historial de crédito para conseguir um empréstimo?
Não necessita de um historial de crédito para conseguir um empréstimo em França. Mas, precisará de fornecer ao banco os seus últimos três recibos de vencimento e declarações do seu banco como prova de rendimentos e de fundos disponíveis.

FAQ

Quem é o mediador? Precisamos recorrer aos serviços de um intermediário?
A maioria dos franceses não recorre a mediadores de crédito. No entanto, os compradores estrangeiros podem ter dificuldades a procurar os melhores negócios e a maioria dos bancos não tem por hábito lidar com compradores não-residentes. Um intermediário pode não só ajudá-lo a assegurar-se que encontra a melhor solução, mas também poderá 'guiá-lo' no caminho mais eficiente para conseguir um resultado positivo.

Os empréstimos são produtos complexos e não podem ser avaliados apenas pela taxa de juro anunciada; as penalizações por reembolsos antecipados, descontos especiais e quaisquer requerimentos de seguro de vida que sejam incluídos, são fatores que têm de ser considerados na avaliação do melhor negócio. Muitos compradores estrangeiros preferem escolher um mediador em vez de abordarem diretamente uma instituição financeira, sobretudo quando não têm uma relação estabelecida com um banco francês.

A propósito, ao contrário do que acontece em muitos países, em França o contrato de venda (compromis de vente) tem de ser assinado antes da concessão do empréstimo - e não o contrário.