Encontrar uma agência imobiliária em França

Escolha o seu agente cuidadosamente

Em França, a atividade de mediador imobiliário é uma profissão regulado segundo a Loi Huguet; os agentes têm de obter uma carte professionelle e têm de possuir seguro de responsabilidade civil. A sua licença tem de estar visível nas suas instalações e também inclui o montante da garantia financeira que lhes permite receber depósitos de compradores. A maioria são membros de uma das associações profissionais FNAIM, NPI ou UNPI.

Alguns profissionais, que trabalham em particular com o mercado de compra estrangeiro, são trabalhadores por conta própria, mas desempenham as suas funções sobre a tutela de uma agência; eles também precisam de estar registados com a autoridade local e o seu estatuto profissional pode ser verificado com um agente supervisor.

Grandes cadeiras e redes de agências por toda a França incluem Century 21, ORPI, Guy Hocquet, Laforêt, ERA e Foncia. Também há alguns agentes que se estabeleceram especificamente para servir o mercado de compradores estrangeiros por todo o país, o mais conhecido é Leggett Immobilier.

Não é difícil encontrar um agente; França tem perto de 30 mil agências de acordo com algumas estimativas - não há um número oficial - e a maioria das cidades, sejam grandes ou pequenas, têm vários agentes nas ruas principais. A maioria dos agentes têm websites e também existem vários portais como SeLoger.com e Logic-Immo.com.

Além disso, se estiver ativamente à procura em França, as revistas gratuitas (Logic-Immo pública uma) podem ser encontradas em muitos supermercados e nas montras de muitas lojas de comércio tradicional podemos ver muitos anúncios de agentes. Ou poderá simplificar a sua vida e começar a navegar em Properstar!

A Língua pode ser às vezes uma barreira

No entanto, nem todos os agentes franceses estão aptos a lidar com os compradores estrangeiros. Alguns simplesmente não falam inglês; outros não sabem como orientar os não-residentes a conseguir financiamento ou como ajudar com a burocracia. Se está interessado nas áreas de Dordogne ou Luberon, onde são comuns os compradores estrangeiros, poderá encontrar um agente que está habituado a lidar com compradores estrangeiros; se estiver à procura no Maciço Central ou Jura, pode ter menos sorte.

Faça o download da versão portuguesa do Guia gratuito sobre como comprar uma propriedade

Tudo o que você precisa de saber sobre como comprar uma casa em França com um estatuto de não residente.

Antes de contatar um agente, pode ser útil estabelecer os critérios de procura de imóvel - o que é essencial e o que é negociável. Poderá estar à procura de um imóvel específico que tenha visto anunciado, , mas se tiver uma ideia clara daquilo que quer, o agente poderá ajudá-lo a encontrar outros imóveis igualmente adequados.

Os agentes franceses não são insistentes - alguns ficam satisfeitos por mostrar-lhe apenas o imóvel do seu interesse.

Muitas vezes, os agentes não providenciam a morada ou a localização exata do imóvel, mas pedem aos visitantes que se encontrem no seu escritório e assinem um bon de visite antes de os levarem ao imóvel.

A assinatura deste documento previne que os compradores procurem outro agente (que pode ter o mesmo imóvel anunciado com um preço diferente) ou fazerem um negócio diretamente com o proprietário. Os agentes acompanham as visitas - os eventos ‘open house’ (visitas abertas a vários interessados) não são comuns em França. Muitos agentes franceses conhecem a sua zona com um detalhe incrível, incluindo comércio local e empresas, política e eventos; eles são um recurso precioso e os compradores mais astutos conseguem extrair muita informação deles.

Quem paga ao agente?

Tradicionalmente, o comprador paga as comissões do agente, mas muitos imóveis estão agora anunciados como HAI ou FAI (honoraires/frais inclus), o que significa que o vendedor paga ao agente. As comissões podem variar entre 5 e 8%, as percentagens são mais elevadas para os imóveis mais baratos e descem assim que o imóvel excede os 100 a 150 mil euros.

Recorrer a um agente pode ser aconselhável para os compradores estrangeiros, dado que os agentes conhecem o processo e podem ajudar a lidar com o notário e a encontrar financiamento.