O Mercado Imobiliário em Espanha

Em poucas palavras

A indústria da construção em Espanha contribui com cerca de 5,6% do PIB, o qual pode oscilar em tempos de crise ou boom económico. Com a recuperação económica que a Espanha vivenciou nos últimos dois anos, em 2016, foram vendidas 13% mais casas, comparativamente ao período anterior, com um total de 458 781 vendas realizadas. Dada a previsão de criação de emprego, a par do crescimento económico e da estabilidade, o setor da construção verificou um aumento de 28,9%, com a aprovação de 64 038 novos projetos de construção, especificamente em cidades como Madrid, Barcelo-na, Alicante, Málaga e Vizcaya. Da mesma forma, para 2017 estimase um aumento de 24% na construção residencial com a aprovação de 80 mil novos projetos.

Todos estes números sugerem que 2017 será o primeiro ano a superar as 500 mil habitações vendidas desde que a bolha imobiliária rebentou em 2008, com um crescimento estimado de 10% nas vendas. No que se refere ao valor dos terrenos, 2016 registou um aumento de 5,3% no crescimento anual e no primeiro semestre de 2017 verificouse um aumento de 1,2% no preço médio recomendado das casas.

Faça o download da versão portuguesa do Guia gratuito sobre como comprar uma propriedade

Tudo o que você precisa de saber sobre como comprar uma casa em espanha com um estatuto de não residente.

Preços da habitação (EUR / m²)

Preços de aluguer (EUR / m2)

Informações sobre o mercado de locação e habitação

Quanto ao mercado de arrendamento em Espanha, enquanto a propriedade se mantém em torno dos 78%, nos últimos anos tem-se verificado um aumento na tendência dos arrendamentos. O valor da renda média em Espanha no primeiro trimestre de 2017 fechou em 7,92€ por metro quadrado, verificandose um aumento de 9,5% re-lativamente ao mesmo período do ano anterior. Prevê-se que o preço do arrendamento vai continuar a aumentar nos próximos anos. Os compradores estrangeiros representaram 17,2% do total em 2016. Em algumas províncias, como Málaga, a aquisição de habitações por não nacionais decresceu, enquanto que noutras, tais como Castellón, Alicante e Tenerife, a procura externa representa 39% do mercado imobiliário local. Como consequência do Brexit, os compradores britânicos reduziram a sua procura no mercado imobiliário espanhol, embora continuem a ser os principais investidores. Este facto deu lugar a um aumento na presença de compradores france-ses, italianos, belgas e alemães. No geral, a compra e venda de habitações por estrangeiros verificou um aumento de 15% no primeiro trimestre de 2017.

Custo da habitação nas regiões espanholas

Apartamentos para venda em Espanha