Como comprar um imóvel em Paris

As melhores áreas para viver

A Torre Eiffel, Montmartre, Coração Sagrado - Paris vai ser sempre Paris! Está a pensar adquirir um imóvel em Paris?

A primeira questão que deve ponderar é “onde?”

Paris está dividida em 20 distritos.

Cada um desses distritos tem o seu carácter único, alguns dos quais o levam a sítios completamente diferentes, como o 13º distrito, conhecido como “Chinatown” devido à vasta comunidade asiática ali estabelecida. E claro, alguns distritos são mais económicos que outros.

Se está á procura de carisma, festas e eventos sociais, pondere o distrito de Marais (3º distrito) ou Butte aux Cailles (12º). Estes distritos são geralmente preferidos por jovens casais. Por outro lado, as famílias preferem o 8º, 16º e 17º pelas suas escolas e parques.

Os distritos do leste (10,11,12,19 e 20) são muito procurados pelos estudantes porque são mais baratos e vibrantes.
E os distritos centrais (do 1º ao 9º) são os mais procurados e, consequentemente, os mais caros.

Os antigos edifícios parisienses (início do século XX) estão localizados nos distritos centrais, daí os elevados preços. Eles salientam-se pela arquitectura e características dos antigos e únicos edifícios franceses do mundo. Curiosamente, os novos projectos imobiliários encontram-se fora de Paris (uma zona urbana conhecida como “intramuros”). Estes edifícios que disponibilizam instalações modernas com aquecimento ecológico e insonorização, são um investimento mais económico e, ao mesmo tempo, rentável a longo prazo.

Preço médio por metro quadrado dos vários distritos de Paris (3º trimestre de 2017):

Porquê comprar em Paris?

A capital francesa é um verdadeiro pólo económico, não apenas em França mas em toda a Europa.

O PIB de Île-de-France é o quinto mais elevado das maiores regiões metropolitanas do mundo, ficando apenas aquém de Tóquio, Nova iorque, Los Angeles e Osaka. Paris conta com uma mão-de-obra altamente qualificada, uma autêntica reserva de talentos e capacidades, particularmente nas áreas académica e económica.

Paris também é um vital centro político, administrativo, económico, financeiro, cultural e académico na Europa. Tem um mercado imobiliário em rápida expansão, com cerca de 10% dos seus terrenos em construção, que equivale a mais de 900 hectares. A capital francesa disponibiliza os preços mais competitivos de todas as cidades europeias, incluindo Londres e Frankfurt, para o estabelecimento de empresas e possui um incrível e diversificado portfólio de imóveis (novos edifícios, arquitectura Haussmanniana, etc). Também alberga o segundo maior aeroporto de passageiros da Europa e o maior de carga - Roissy. No coração da Zona Euro, a economia Francilienne é particularmente diversificada: apesar da predominância da economia de serviços de luxo, a região continuar a ser um dos principais centros de pesquisa e produção da Europa.

Paris vai ser sempre Paris e a sua influência internacional, tanto económica como política, nunca irá diminuir. Os turistas continuam a visitar a capital francesa em grande número. Estes são, por si só, excelentes motivos para investir em imóveis em Paris.

Quando pensamos num apartamento em Paris, imaginamos tectos e acabamentos ao estilo de Haussmann. Infelizmente, estes imóveis não costumam ser insonorizados, têm plantas mal desenhadas (cozinhas pequenas, longos corredores, pouco espaço de arrumação) e são demasiado caros.

Os apartamentos maiores (5 ou mais quartos) encontram-se sobretudo nos 8º e 16º distritos e, apesar de estarem longe do centro, têm preços elevados devido à sua popularidade entre famílias.

Uma dica para quem escolhe onde comprar residência em Paris: baseie a sua decisão no seu local de trabalho. A proximidade de transportes públicos é O critério mais importante. Por exemplo, se trabalha na La Défense, dê prioridade a residências perto da linha 1 do metro ou do comboio RER A.

Cada distrito em Paris tem a sua própria personalidade: há aqueles mais orientados para os negócios (Ternes, rue Cler, rue du Poteau, etc), os mais turísticos (Torre Eiffel, Saint Michel, Montmartre, etc), os mais tranquilos (Auteuil, Invalides, etc), os mais “verdes” (Monceau, Buttes Chaumont, Luxembourg, etc), os mais animados (Quartier latin, Bastille, République, Campos Elíseos, etc), os mais “burgueses boémios” (Canal Saint Martin, Marais, etc), e por aí adiante. Independentemente do estilo de vida que procura, Paris tem algo para oferecer.

Dicas para comprar um imóvel

Investir em imóveis parisienses envolve seguir os mesmos passos do investimento imobiliário em qualquer outra cidade francesa:
1. Escolha um mediador imobiliário de confiança (tais como FNAIM, SNPI, UNPI, etc)

2. Em cada visita, terá de assinar um contrato de exclusividade, que indica o seu acordo em recorrer aos serviços da imobiliária e de não lidar directamente com o vendedor

3. Se gostar do imóvel, terá de assinar um contrato promessa de compra e venda. Pagará então 10% do preço total do valor acordado (também conhecido como caução).

Isto ocorrerá preferencialmente perante um notário. Após este contrato, segue-se um período de espera obrigatório de 10 dias, durante o qual o proprietário não pode vender o imóvel a mais ninguém, mas o comprador poderá anular o contrato sem perda da caução.

4. Assim que termina o período de 10 dias, o contrato entra em vigor. Em seguida, há outro tempo de espera, desta vez de 3 meses.

Durante este período, o comprador deverá tomar providências relativamente ao financiamento para a aquisição. Entretanto, o notário procede à verificação da informação do vendedor e aos detalhes do imóvel. O imóvel poderá estar localizado numa área, onde o município tem o direito de preferência. Isto significa que é dada prioridade ao município sobre compradores privados e tem 2 meses (ou 3 em alguns casos) para adquirir o imóvel para projectos comunitários. Nestes casos, o contrato de compra e venda não pode ser assinado até ao fim deste período.

5. Por fim, pode ser assinado o contrato de compra e venda. Não hesite em recorrer aos serviços de um tradutor para ajudá-lo com o que for necessário, porque alguns termos são específicos do sector imobiliário e podem ser complicados.

Este procedimento pode ser demorado - não hesite em esclarecer as dúvidas que possa ter. Assim que tudo ficar clarificado e concluído, tornar-se-á o proprietário legal. As chaves ser-lhe-ão entregues e terá de pagar o montante remanescente, assim como os emolumentos notariais.